Revista Casual (2008)

Matéria publicada na Revista Casual (2008)

Um pedacinho da França no Brasil

Versolatto (arquivo pessoal)

Odamar Versolatto (Fonte: Arquivo pessoal)

Na tradição francesa, uma refeição não é apenas um alimento, é uma cerimônia especial que pode durar horas, sempre acompanhada por deliciosos queijos e vinhos. Ao ser convidado por um francês para jantar, tenha a certeza de que ele estará lhe oferecendo, à sua maneira, a maior demonstração de amizade, oferecendo e escolhendo os melhores vinhos, alimentos e sobremesas.

Diante dos hábitos brasileiros de realizar suas refeições em poucos minutos e com a intenção de trazer para o país um pouquinho dos costumes franceses, o paulista Odamar Versolatto abriu o Universo Maria, um bistrô 100% francês localizado em Santo André, no ABC Paulista. Ao entrarmos, imediatamente nos deparamos com seu primeiro diferencial:  a casa não possui portas e nem grades. Não é necessário bater e nem tocar a campainha para entrar, basta que você caminhe. “É como se você estivesse andando em Cannes, na França, e entrasse em algum lugar para beber”, diz Versolatto. Para a esposa, Sueli, as pessoas têm receio de bater em portas fechadas, pois não se sentem bem-vindas.

Na França, o almoço começa às onze horas da manhã e termina seis, sete horas da noite sem acabar o assunto, porque os franceses sabem celebrar. Eu não sinto isso no Brasil. Aqui, parece que quando a novela ou o jogo começam o jantar termina

O nome foi sugestão da esposa, Sueli, que se inspirou em todas as mulheres do mundo e escolheu Maria, um nome universal. Segundo ela,  a maioria dos restaurantes do Grande ABC são feitos para acolher o público masculino. “Aqui é um delírio de mulheres belas. É um espaço delicado, com obras de arte, velas, flores… é muito doce e romântico, com a cara da mulher“, afirma.

Universo Maria

Universo Maria

Obra de Versolatto

O espaço, decorado com excelência, foi inspirado nos bistrôs franceses e conta com uma adega, revistaria, boutique, café e um grande espaço para eventos. Além disso, os visitantes podem  se esbaldar com uma grande exposição de quadros de autoria do próprio Versolatto. Com cadeiras grandes e confortáveis, cada móvel foi escolhido especialmente para que os clientes se sintam em casa e permaneçam o tempo que quiserem. Pelos salões, sofás espalhados dão um toque diferente e aconchegante.

No Universo Maria, o cliente possui exclusividade e um carinho todo especial que é lembrado a cada instante do dia, desde o alimento fresco comprado pela manhã, passando pelo atendimento, do cozinheiro ao garçom, que serve os clientes sem pressa de receber gorjeta. “Quem te recebe aqui tem vontade de atender bem, os amigos que estão com você devem sair mais leves do que quando chegaram. No próximo encontro, tenho certeza de que eles se lembrarão de onde jantaram. Essa foi a maior lição de gastronomia que aprendi na França”, conta Versolatto.

Até o cardápio da casa segue à moda francesa. Com apenas uma folha, destaca as opções do dia com entrada, primeiro e segundo prato e uma deliciosa sobremesa para finalizar. O destaque da casa fica mesmo por conta de Geraldo Rocha, um super chef da região e eleito por duas vezes “Chef do Ano”, pela Revista Veja ABC. É ele quem prepara todos os dias novos cardápios e não cansa de surpreender os clientes. “No primeiro sábado após a inauguração, pedi que o Geraldo preparasse um risoto surpreendente para um casal de amigos. Ele fez um inacreditável risoto de lagosta com sorvete de coco. Eles gostaram tanto que virou um prato tradicional da casa”, conta Versolatto, que afirma que para ele, todos os clientes são especialmente importantes. E são mesmo, uma vez que já receberam a visita de Luciano Zeferino, embaixador da cozinha italiana e criador do molho Pesto, Olivier, Ana Torres, Marcos Palmeira, Adriana Esteves, entre outros famosos. “O Geraldo começou a se empolgar e hoje faz um carré ao molho de hortelã maravilhoso e tão delicioso quanto o simples arroz e feijão. Esse é o segredo, quando é feito com carinho e amor, tudo fica bom”, diz.

 

A arte do artista

Versolatto by Julio Alcantara

A carreira de Odamar tem altos, baixos e muitas histórias curiosas e engraçadas que começam bem cedo, ainda na infância. Aos três anos de idade ele já desenhava e fazia esculturas com massinha de pão. Com o passar dos anos, foi aprimorando suas técnicas e conquistando admiradores, que já previam  que ele seria um grande pintor e escultor. Sem muito apoio da família, não levava o papo muito a sério e nem acreditava muito em um futuro financeiramente promissor.

Aos oito anos de idade, descobriu as magníficas obras de Picasso, e passou a quebrar a estrutura de seus desenhos, explorando seu lado ainda mais criativo. Dez anos depois, tentou cursar a faculdade de oceanografia, mas só se encontrou mesmo quando trocou o curso para artes plásticas. Aos 20 anos, largou a faculdade e mudou-se para a Bahia, decidiu ir trabalhar restaurando vitrais com alguns italianos que conheceu.

Anos depois, tornou-se diretor de marketing de uma empresa e passou a viajar pelo mundo. Foi assim que ele e Sueli se conheceram, se casaram e tornaram-se sócios do Universo Maria.

A história de sua primeira exposição é inusitada e começa em um dia em que ele esquecera de comprar um presente para o aniversário de um amigo. Rapidamente pegou duas de suas pinturas, embrulhou-as e foi para a festa. Assim que o aniversariante desembrulhou o primeiro quadro, Sueli, surpreendida com a beleza da obra, instantaneamente pegou o segundo embrulho dizendo “É apenas um, o segundo fica comigo”, ela conta, entre risadas. E então, marcou sua primeira exposição também na cidade de Santo André.

Eu apresentei 30 trabalhos, vendemos 33 obras em dólar. Ninguém na região havia vendido um quadro tão caro. Tivemos uma ótima aceitação”, relembra. Foi lá que conheceu um rapaz chamado Gian Levi, considerado um líder das artes na época. Através dele, Odamar foi para a França para conhecer a exposição de Arthur Piza, um gênio da pintura brasileira. Ele conta que se perdeu na cidade e, muito preocupado, perguntou a um senhor que estava sentado em uma esquina sobre o endereço. Ao dizer seu nome, descobriu em uma feliz coincidência, que era o próprio Arthur Piza.

No ano 2000, foi convidado do Castelo de Caras e conviveu com personalidades como Carlos Zara, Eva Vilma, Álvaro Peixoto, Dulce Pontes, entre outros. Em 2003, assinou contratos com grandes empresas e participou de oficinas culturais por todo o país.

Versolatto

A criação e o criador (Fonte: arquivo pessoal)

Versolatto

Fonte: Arquivo pessoal

 

Leave a Reply