Perguntamos para Danton Velloso, CEO da DOOR International Brasil e um dos fundadores da Web Motors, como gerar equipes eficazes dentro de uma corporação e qual é a visão que um líder necessita ter para obter sucesso no gerenciamento destas equipes.

Para ele, muitas mudanças ocorreram neste cenário, porém, as empresas que decidem focar o assunto como necessidade e procuram desenvolver seus times para que haja coesão e alinhamento de propósito, continuam por tratar o assunto como se fosse algo simples. Ele acredita que o time pressupõe pessoas com diferentes perfis e que, sem eles, o propósito se perde.

Danton Velloso  ” Na minha opinião, isso não é tão simples ou banal como pensam. Um time pressupõe pessoas com características das quais sem elas o propósito se perde. Em primeiro lugar, é preciso estar muito bem alinhado com os propósitos da organização, tais como a visão, missão e o conjunto de valores de uma empresa de tal maneira que funcione quase como uma bateria de energia movendo as pessoas para a ação.

Isso é resultante do alinhamento dos propósitos entre pessoas e a organização, de tal forma que você não consiga identificar onde termina a energia de uma e começa a de outra, criando assim uma sinergia. Eu poderia sintetizar tudo isso em uma única palavra mas tenho receio de ser interpretado como piegas. A palavra que sintetiza essa identidade e casamento de propósitos entre equipe e organização chama-se AMOR. É através desta intensidade existente entre ambos (e não entenda amor como algo platônico ou entre homens e mulheres), a qual me refiro a uma combinação de comprometimento, respeito, parceria e doação, pois é isso que move e transpõe desafios.

Em segundo lugar, é preciso que haja transparência entre as pessoas para que potenciais problemas existentes ou desafios que se apresentem sejam transpostos por uma única razão: as pessoas que compartilham deste ambiente são pessoas que se consideram felizes. A felicidade dá o tom de quererem estar, compartilhar, superar. Há uma equanimidade entre eles, somos iguais, o poder se torna coletivo. São estas duas condições abstratas que necessitam estar presentes e identificadas em como se comportam e interagem.

Existem também outras competências necessárias, como o conhecimento, a ferramenta, técnicas para lidar e conviver em equipe e etc. Eles reportam a responsabilidade de equipes distintas mas que se complementam, como técnicas de tomada de decisão, dar e receber feedbacks, comunicação adequada e simétrica. Cada membro possui um papel e atua em uma posição diferenciada, mas é dentro de cada um de nós que devemos encontrar o líder de si, e o que determina a qualidade e o nível de sinergia obtido pela equipe é exatamente este.

Não basta querer e manifestar motivação, mas também o conhecimento, a técnica, o domínio do contexto e orientação para objetivos finais.

Temos infinitos exemplos de conjuntos bem sucedidos que perderam tudo de uma hora para outra, dando mais valor ao individualismo. Gostaria que cada indivíduo, principalmente o leitor desta matéria, ao longo de sua existência se lembre de empresas que ao longo do tempo acabaram se perdendo.

Como exemplo, podemos citar a Seleção Brasileira em ano de Copa do Mundo, que pulou de 1º para o 8º lugar entre os melhores do mundo. Para vencer, é preciso que a equipe tenha, além de responsabilidade, todos os quesitos acima. Abrir mão deles não nos colocará no podium em 2014. Outro bom exemplo é a Apple. Com a saída de Steve Jobs da companhia, o propósito e a motivação das pessoas desapareceram e elas começaram a trabalhar apenas para cumprir seus papéis. Enquanto ele estava ali, canalizava toda essa paixão, que se perdeu e quase foi à falência. Assim que voltou, tudo novamente mudou. Os Beatles eram a maior banda de todos os tempos enquanto havia um time. Quando deixou de existir, ficou apenas a saudade da maior banda de todos os tempos.

Gostou do texto e do tema abordado? Esse é um assunto que você pode levar para sua vida, para sua casa, família, empresas e aplicar no seu dia a dia da melhor forma possível.

Leave a Reply